Na Faculdade da falha, meu TCC é nota 10


Okay, e agora? Por onde eu iria começar? Pensei: ok, qual é o caminho mais rápido para estar trabalhando na empresa? A resposta foi automática, um programa relativamente popular para ser Cast Member, oferecido por uma empresa chamada STB.

Explicando rápida e resumidamente, a STB oferece esse programa para jovens trabalharem na Disney. Fácil, hum? Erh... Talvez se eu fosse menos eu. Explico: O programa tem algumas regras para você se qualificar.

Ter no mínimo 18 anos ok

Ser fluente em Inglês ok

Poder custear os gastos de passagens, seguro e alguns dias de acomodação a gente da um jeito, ok

Estar cursando entre o segundo e último ano de algum curso de bacharelado Ops, não ok

Um breve resumo da minha vida na época: Drogas, álcool e ro...faculdade. Eram tempos simples. Eu ia pra rua estudar e pra faculdade dormir, basicamente. Todo dia era sexta e todo lugar era a Lapa-RJ. Definitivamente eu não era um modelo Disney. Nada Disney-look mas isso é um problema que vou contar depois...

Meu curso era apenas tecnólogo. Eu estava há quase 4 anos em um curso de 2? Estava. Mas em minha defesa, é que eu gosto de aproveitar bastante o meio acadêmico (mentira, só de lembrar dá vontade de chorar). De qualquer forma, eu estava já começando o meu TCC, como que eu estaria ao mesmo tempo no segundo ano de um curso de bacharelado sendo que faltavam 4 meses para a pré seleção do STB? ? Na época,esse parecia o problema da minha vida, nada seria mais difícil que esse quebra cabeça. HAHAHAHAHHA TADINHA.

Como tudo na vida, aquilo teve solução. Me inscrevi no curso de moda na minha própria faculdade e pude pular todo um semestre (uma vez que como aluna de animação, algumas matérias que cursei foram as mesmas. Estranho? Nem me diga). Bibidi, bobidi, boo. Eu estava apta.

Alegria de pobre dura pouco, já dizia o ditado. E, após mandar minha inscrição, descobri que o processo todo seria em São Paulo. Obviamente morreria em um dinheiro? Sim. Mas tudo posso no rato que me fortalece. O que mais, universo? Hum? Hein? Hein? Pode mandar que eu driblo. HAHA HA HA ha ha ha ha...

Ele mandou. Disney-look. Não sabe o que é? Eu explico. Para trabalhar lá, os funcionários precisam ter uma aparência impecável (ok beleza, sou cheirosa e até me considero bem diagramada). Essa aparência impecável consiste em ''cortar extremos'', em outras palavras, nada de tatuagens, cabelos de corte não usual e coloridos.

Tão perto mas tão longe... E lá vamos nós de novo. Não que eu tenha a língua bifurcada e pareça um presidiário com a palavra ''ódio'' tatuada nos dedos (nada contra). Mas eu pareço... Uma fada presidiária rs (sei lá mas espero que você tenha entendido). Sou muito meticulosa com minha aparência e nada que eu visto ou tatuo é por acaso, sempre lidei como se fizesse parte do meu branding pessoal. Do perfume às tatuagens, eu sempre gostei muito do jeito particular e singular que eu sou e ponto. Foi uma questão delicada que tive que rever e pior ainda, tive que escutar um disco arranhado (minha progenitora) falar que eu nunca deveria ter feito tatuagens e insinuar que eu me arrependi de alguma maneira e me dei mal por não ter escutado o protesto que ela faz desde a primeira.

Urgh.

Eu não podia mudar quem eu era nem mesmo pela Disney? Fui ao salão deixar meu cabelo de uma cor ''normal''. Me senti na cena onde a personagem raspa a cabeça na novela Laços de Família. A música pelo menos estava tocando na minha cabeça. Dramática? Eu tinha o cabelo que eu queria desde meus 12 anos, era bem... Radical pra mim.

Já as tatuagens, só me restava esconder. Comprei a roupa mais social e coberta possível e passei maquiagem nas áreas impossíveis de cobrir com tecido. O dia da entrevista tinha chegado.

#SejaDisney #disney2

0 visualização
  • Twitter
  • YouTube
  • Pinterest
  • Instagram

© 2017 Elle Oliver

Elle Oliver Arts & Oddities